13 de jun de 2010

Sou Estranha??? Ou sou Normal???

Sinto falta do que nunca existiu. Acho que até hoje, você não percebeu que nunca fomos amigos. E essa admiração que voce nunca teve por mim existe, porque pelo menos pra mim, nunca demonstrou. Orgulho? Pelo visto nunca dei mesmo. Ao contrário do que pensa, nunca fui a melhor da sala, nunca tive muitos amigos, nunca fui muito de conseguir me enturmar. Meu mundo era meu quarto, um som e meus cadernos. E hoje, escuto que peguei vocês de surpresa com meu comportamento, porque sempre 'fui normal'. Por isso, não sou aceitável. Que seja, eu não pedi ninguém pra me aceitar. Se hoje, consigo me divertir com amigos ou com a pessoa que amo, não adianta ficar bravo. Apenas encontrei amigos. Não entendo porque nunca pode aceitar meus gostos, minhas escolhas, meus planos, por mais bobos que fossem. E porque não aproveita os momentos ao meu lado, sem me dizer o quanto piorei nos últimos anos, na sua perspectiva, o quanto regredi, o quanto sou pequena nesse mundo e o quanto ainda vou sofrer. A minha dita 'escolha' é algo totalmente paralelo à minha relação dentro de casa. Pelo menos, era pra ser. Eu fiz de tudo pra não interferir, mas todos os problemas, as doenças, praticamente tudo, foi direcionado a mim: a culpada. E a cada dia que minha avó me joga palavras ridículas na cara, a cada dia que você me comparava a garotas promíscuas de rua eu tinha (e tenho) reações diferentes. Tem dias que choro pela noite, até o sono ficar mais forte. Tem dias que me comparo a ferro ou a gelo sem sentir nada e guardo a mágoa lá no fundo. Mas tem dias que eu grito, peço ajuda, digo o que odeio e o que também me mata aos poucos. Eu não sofro abusos, não apanho, muito menos tenho que cumprir ordens de NINGUÉM, então, realmente acho bobo até quando tentam vincular minhas atitudes. Ás vezes acho que minha avó viu que errou. Mas aí me sinto menor ainda. Entendo os seus ciúmes, entendo que ela não sabe dar carinho diretamente. Entendo até suas revoltas sobre o que eu 'escolhi'. Nem subentendido. Nunca irei morar nem dormir com cinquenta mulheres. E você, só irá me perder pra você mesmo. E pro seu preconceito. E pro seu mundo fechado que só abre as portas para pessoas de boa aparência, se possível bom status e 'boa conduta' de acordo com seu padrão de qualidade. Nunca viu melhora alguma em mim? Não percebeu que nas vezes que tentei me aproximar e contar sobre as coisas que gosto, que pretendo fazer, antes de eu terminar a primeira frase você me interrompia com seus planos e idéias superiores. Como eu podia me abrir? Como querer ficar perto? Além disso, percebi que não ia adiantar mudar para ser a neta perfeita pra você, se eu fosse ser tão infeliz. As roupas que uso não prestam. Meu jeito nunca foi bom pra você. E eu apenas me conformei. Mas não pretendia, por isso me afastar de você assim de súbito. Nunca pretendi. Mas também não pretendia escutar tantas vezes o que escutei. Sei que nunca vai acreditar, mas foi depois que encontrei meus amigos e meu amor, que eu parei pra pensar em você. Nesse seu jeito comigo. Nessa ponte invisível que eu, tento enxergar, mesmo que sozinha de um lado, e você no outro. E se parei pra pensar, parei pra admirar também, pra amar mesmo que sozinha e trancada no famoso quarto. Nem sei pra onde tudo isso vai me levar... eu só queria te contar mais ou menos como as coisas andam aqui dentro. Se é que andam, depois de tudo. Eu não consigo falar olhando nos seus olhos, porque, geralmente choro e me sinto bem ridícula. Então, tudo vem parar por aqui. Mesmo que sem nexo e sem ordem como está aí em cima. Mas sempre fiel ao que está aqui, dentro de mim. É... talvez o texto nunca tenha um final. Mas me deixa te contar uma coisa boa: eu gosto da sua sinceridade. E quero que nunca deixe que ela desapareça. Fique com ela e, se possível, mande esse orgulho passear. Depois, se quiser, pode vir no meu quarto dizer que meu perdão chegou. O peço, desde já. Mesmo sem saber porque pedir. É que eu te amo.

É, talvez não seja tão fácil assim, mas posso tentar, todos temos direitos a uma 2ª vchance, não acha???

4 comentários:

Fabricante de Sonhos disse...

Relações humanas são sempre complicadas, minha linda....
Vc não é estranha, nem normal: É SER HUMANO!
Todos nós somos um poço de contradições, dúvidas, certezas, erros e acertos...

E precisamos muito, dessa carga de afeto que atravessa a vida!

Adorei o teu texto!
Um dos melhores que já li aqui!

Beijo estalado e ótimo final de semana! =)

Rafael H. Santos disse...

Bem, estou meio sumido desta caixinha de comentários né, mas quem é vivo sempre aparece né, vc mesma disse isto.
Seu texto é bem forte e como nossa amiga milla já disse, relações humanas são sempre complicadas, axo interessante o jeito de vc desabafar, e seus desabafos geralmente, para não dizer, sempre, geram textos ótimos, que nos fazem refletir bastante.
Parabéns.
Vc merece toda a felicidade do mundo, e eu sou muito feliz em trabalhar ao seu lado todos os dias.

Rafael H. Santos disse...

Bem, estou meio sumido desta caixinha de comentários né, mas quem é vivo sempre aparece né, vc mesma disse isto.
Seu texto é bem forte e como nossa amiga milla já disse, relações humanas são sempre complicadas, axo interessante o jeito de vc desabafar, e seus desabafos geralmente, para não dizer, sempre, geram textos ótimos, que nos fazem refletir bastante.
Parabéns.
Vc merece toda a felicidade do mundo, e eu sou muito feliz em trabalhar ao seu lado todos os dias.

Fabricante de Sonhos disse...

Heyyyyyyyyyyyy Que bom que apareceu!!!!
Tava com saudades!
Vê se não some e nem pense em ficar mais tempo sem escrever!
Queremos seus textooooooos!

Beijos mágicos!
Fabricante de Sonhos
(Twitter: @millaborges)